Seja Bem vindo a minha página

ABANDONE DE VEZ SUAS PONTUAÇÕES E RENDA-SE COM TODA SUA PECAMINOSIDADE AO DEUS QUE NÃO LEVA EM CONTA NEM OS PONTOS , NEM AQUELE QUE OS MARCA, MAS VÊ EM VOCÊ , SOMENTE UM FILHO REMIDO POR CRISTO- Thomas Merton

segunda-feira, 25 de maio de 2009

DO IRMÃO CAIO

A pior coisa que pode acontecer a uma amizade ou relacionamento... — é quando os amigos ou parceiros julgam que se conhecem mutuamente por completo; e, também, quando pensando assim, os anos se passam, e eles, por julgarem conhecer o outro, o congelam em um estado de imutabilidade...; e, desse modo, sem que se saiba o que outro quer..., já se o interpreta; ou quando não sabendo que algo nele mudou..., se o fixa por antecipação; ou quando amando o outro, se assume que nosso amor por ele é apesar dele, pois, não damos mais a ele o poder de nos surpreender..., apenas porque o tenhamos frisado numa bolha de amor fraterno ou relacional que já não o permita mudar aos nossos olhos. É assim que as amizades vão morrendo e os casamentos vão ficando a mesma coisa... Sim, pois a história impõe vícios interpretativos!... A coisa boa de uma amizade é justamente a expectativa de mutabilidade para o bem... Por isto, verdadeiros amigos sempre se encontram esperando o melhor como surpresa fraterna. O mesmo se pode dizer do casamento... Quando os cônjuges perdem a esperança e alegria na possibilidade de que o outro cresça e mude, então, inicia-se o processo de falência do amor... Digo..., não do amor mesmo, que tudo sofre e segue adiante... — mas falo do amor conjugal, que se alimenta também da alegria pela existência do outro; e, mais que isto: sempre espera que o bem não cesse na vida dele... Na realidade, se há um ambiente no qual mais do que em qualquer outro não se deve julgar para que não se seja julgado, esse tal ambiente é o da amizade e o do casamento. Entretanto, é justamente em tais/mesmos/ambientes que menos se leva á serio tal recomendação de Jesus. Sim, pois é aí, pela suposta segurança e indissolubilidade do vínculo, que mais se julga, se interpreta e se projeta sobre o outro aquilo que não necessariamente nele esteja presente ou sequer em processo de existência... “Segurança relacional”, seja pelo casamento ou pela amizade, não devem funcionar justamente para a realização do oposto: a ofensa, o julgamento, o sincericidismo, ou a impaciência que diz: “Já sei que tipo de coelho sai dessa mata...” Todavia, é porque as pessoas se sentem “seguras”, que ofendem, julgam ou pré-definem o outro; e, depois, não sabem por que ambos vão ficando cada vez mais distantes... Todas as coisas sadias se alimentam de pequenas gentilezas... Todas as coisas sadias, por mais intimas que sejam, guardam sempre um lugar para a parcimônia e o cuidado da não ofensa... Todas as coisas sadias em um relacionamento se alimentam de cuidado e carinho... Todas as coisas sadias em um vínculo..., demandam e dependem do evitar das gritarias e das histerias que ofendem sem capacidade para retirar a ofensa... O que se precisa crer sempre é que o outro, seja o amigo ou o cônjuge, são seres com quem Deus também fala; por isto, muitas vezes, é melhor que a nossa naturalidade no trato persista na direção do outro, sempre crendo que não é a nossa voz a única que fala, posto que Deus também fale; especialmente quando abrimos mão da gritaria e entregamos a questão ao amor e à verdade de Deus. O momento relacional mais difícil é aquele no qual um dos implicados ou mesmo ambos, julgam que já se tornaram tão amigos ou íntimos, que o relacionamento já se cimentou de um modo tão concreto que já não mais se quebre... Aí reside grande engano... Pois, o amor não acaba, mas pode entrar em um processo de tanto sofrimento, que, em razão disso, perca a felicidade no se dar... Cada um de nós deve pensar nisto; e, mais que isto: deve ver com quem se perdeu a delicadeza de manter a amizade ou a conjugalidade como coisa nova todos dias; dando sempre ao outro a chance de amanhecer melhor para nós, e nós para ele; assim como são as misericórdias de Deus todos os dias, renovando-se a cada manhã. Nele, que assim manda que seja, até 70x7, Caio 25 de maio de 2009 Lago Norte Brasília DF www.caiofabio.com www.vemevetv.com.br

terça-feira, 5 de maio de 2009

O fígado e o umbigo

Pois bem , o titulo parece estranho mas no final tudo se esclarece. A igreja evangélica ainda não aprendeu a tratar do corpo mistico , e como todos sabem o corpo humano é constituido de diversos orgãos: coração , rins , figado, baço, etc, etc ,e tal, e é de conhecimento de todos que quando um orgão do corpo humano é afetado por doenças, é preciso tratamento, que é feito no corpo. Ouvi isso do meu professor de Escola Biblica .Tenhamos como exemplo o figado que pode estar enfermo. A medicina procura tratá-lo dentro do corpo e em atividade, injetando remédios, e procedimentos que o levarão a cura. Arrancar e transplantar somente quando não se há possibilidade de cura no corpo. Onde quero chegar ? Ja falo a seguir. É na igreja como corpo de Cristo que devemos ser tratados quando adoecemos espiritualmente, quando somos vencidos pelo pecado, ou quando perdemos batalhas para o nosso adversário o diabo. É ali na igreja no corpo de Cristo onde o remédio é injetado, onde procedimentos como ministração da palavra, jejuns, oração, quebrantamento é ministrado, e pasmem os religiosos de plantão ,os que não perdoam , os que não veem esperanças de recuperação ,que é em atividade que o membro deve permanecer , assim como o figado ou qualquer orgão tratado no corpo humano, transplante somente quando não se vê mais possibilidades de cura. Quando se rejeita remédios , quando os procedimentos não são executados com resultados positivos. Ja passou do tempo da igreja como corpo, tratar com doçura , e amor aqueles que adoecem. O umbigo? o que tem o umbigo no caso? Me surprendi quando um irmão amado com um abdomen um tanto avantajado devido a gordura me mostrou o umbigo e me disse a respeito de algo que o problema é que olhamos somente para nossos umbigos. Se esta no lugar , se esta bem , alimentado e cuidado, o que importa os outros? E ai bato na tecla novamente de que o nosso perfil de igreja esta longe daquela que Cristo levantou , onde o mestre ensinou a Pedro perdoar , perdoando, lavou os pés dos discipulos ensinando que o maior deve servir o menor e que mesmo sendo traido não se deixou levar pelo ódio ou sentimento de pena de si mesmo.Cristo não deixou os doentes espirituais fora do corpo, o eliminado do corpo foi aquele que preferiu se eliminar enforcando-se. E assim seguia a igreja ajudando , abençoando, tratando e curando no corpo , na alma e no espirito. Em particular estava em coma quase sem perspectiva de vida, me ampararam , fui pra uti, sai e fui para o quarto, hoje me sinto em recuperação e em atividade no corpo, pregando, ministrando louvor, auxiliando a curar outros. Após total recuperação estarei se Deus permitir em atividade plena dentro do proposito de Deus. Por favor , não se escandalize ,fui tratado dentro do corpo.Por favor eutanázia não ...

Quem sou eu

Minha foto
Volta Redonda, Rio de Janeiro, Brazil
Assunto: Radialista, e atuo como comunicador na rádio 88 fm há 14 anos , atualmente exerço mimha função de locutor na radio boas novas no Rio de Janeiro , uma empresa do mesmo grupo 88 . Tenho tido experiencias tremendas nessa área . obrigado a todos que se interessam em ler meus escritos quer seja por admiração ou por criticas